16 janeiro 2017

Sensação de Domingo

Domingo é um dia preguiçoso, todo mundo dorme, se refugia debaixo do cobertor, e faz algo tranquilo, eu mesma, maratono minhas séries, durmo, leio... É como se você tivesse tirado o atrasado da semana inteira.
A Bruna vai passear com o cachorro e seus amigos, o Mateus joga seu videogame, a Rafaela atravessa a cidade para encontrar o Eduardo - ou vice e versa.
Sabe, aquele dia foi diferente, nós tínhamos nos conversado por chamada de vídeo no domingo passado, e no outro domingo estávamos caminhando pela cidade, jurando palavras que nem sabíamos o efeito forte que tinha, e beijando nossas mãos, como em um século distante. Nós queríamos tanto, sentíamos tanto que a frase que resumia meus sentimentos - Eu sinto tanto por eu sentir tão pouco - não fazia mais sentido;
Era uma incrível história de amor a começar, e sempre pensava se era assim que elas começavam, se dava pra sentir se daria certo, pois sempre que descrito pelos autores, parecia como algo inesperado, então, como já podia prever?
Naquele domingo, tomei coragem e fui até sua casa de surpresa, bati a porta mas ninguém atendeu, você estava ocupado demais com uma nova garota, eu fechei sem você nem perceber minha presença; E aquela delicadeza? As promessas, o meu príncipe encantado, nossos beijos amigáveis vergonhosos? Não se sente vergonha de dizer eu te amo para um amigo, mas eu senti, e suas bochechas rosaram. Naquele dia que você disse que era um lixo e que só fazia as pessoas sofrerem e se afastarem, era verdade? Então, por que não mudou? Por que não por mim? Você alguma vez já me quis de verdade, ou era mais uma cena do seu script?
Eu já te quis ligar, várias vezes estava prestes a clicar na cor verde, mas eu sempre me controlava, quer dizer, não em todos os momentos que as lágrimas escorriam pelo meu rosto, e não queriam mais parar, antes de você eu não sentia nada e você me fez assim: emotiva, sensível, amorosa. Eu poderia ter te feito muito feliz, mas você já conseguiu isso com seu novo namorado.

07 janeiro 2017

Filme 10 Year Plan



Oi gente, hoje vou resenhar esse filme romântico com temática LGBT, eu gostei muito dele, mesmo sendo um pouco clichezão homem-branco-musculoso haha, mas tudo bem é muito bom.

O que acontece no filme

Os melhores amigos Brody e Myles sempre estão solteiros, Brody porque não quer namorar nem casar com ninguém e Myles porque é um romântico incorrigível - assim afirma Brody - e todos os homens acabam se sentindo sufocados e caem fora. Sim, eles são gays e depois de mais um pé na bunda do Myles os dois prometem que se há dez anos, com 35 anos, eles estiverem solteiros, eles vão se casar.
Passou-se nove anos, dez meses e 29 anos e o atual namorado de Myles termina com ele e Brody continua pegando todos com a ajuda do aplicativo Grindr, mas nenhum dos dois esqueceram o acordo, então temendo cumpri-lo e ficar com alguém pelo resto da vida Brody tenta arrumar alguém para Myles, e o amigo acha alguém no tal aplicativo mas Brody começa a sentir certo ciúmes, e da match no mesmo namorado do amigo, o Hunter que se apresenta com outro nome, sem saber e fica com ele - nos primeiros instantes - mas depois descobre e sai da casa do tal Hunter. 
Os melhores amigos brigam, e Myles decide ir embora, porém, os dois estão mais apaixonados do que pensam. 


O que achei

O filme tem uma hora e meia de duração e é perfeita para você assistir numa tarde de tédio e dar umas risadinhas - não é a comédia mais brilhante desse mundo, mas tem bom humor - e deixa uma expectativa maravilhosa no fim, tipo, todos sabem o que acontece no final, mas a forma é muito engraçada e dá uma agonia muito gostosa. O contexto também é legal, a amizade dos dois é muito goals e nos apegamos rápido aos garotos - pelo menos eu sim rs - e reparamos que Myles é um trouxa que sempre gostou do melhor amigo Brody. 
Acho que minha conclusão é essa: não é o romance que vai marcar minha vida, mas é muito lindo. 

24 dezembro 2016

The Walking Dead: S01, S02 e S03

ó o elenco que vc nunca mais vai ver *lágrimas escorrendo*

Ooooi gente! Então, acabei de terminar as três primeiras seasons de TWD disponíveis na Netflix e já to fazendo post aqui, porque tá tudo mais fresco na minha cabeça e faz tempo que não me esforço pra fazer uma resenha rsrsrs não quero perder o costume.

O que acontece nas temporadas:

Na primeira temporada, vimos Rick Grimes saindo do hospital e indo atrás de sua família, a primeira coisa que ele faz já é de imaginar, mesmo em péssimas condições ele vai até sua casa, que está sem ninguém e é surpreendido por ver um zumbi pela metade e um homem apontar uma arma na sua cabeça, então, é explicado à ele o que aconteceu enquanto ele estava apagado no hospital: o grande e assustador apocalipse zumbi, do que aliás, ele tenta fugir quando vai à Atlanta e vê o grande caos de zumbis que o adorariam comer. Nisso, ele é salvo pelo bondoso Glenn, o qual faz parte de um grupo de pessoas que estão tentando sair da cidade e ir para um acampamento seguro que por acaso, a família e o melhor amigo do Rick está; depois do reencontro emocionante e inesperado, ele se torna o líder - ou um dos; que vai tentar manter o grupo a salvo, ou quase, já que no quarto episódio sofrem um ataque zumbi e perder muitas pessoas, inclusive Amy (irmã de Andrea). Depois de prejudicados, Rick lidera o grupo até o CDC onde estava sendo formulada a cura contra a doença de zumbis, mas só encontram um único cientista fracassado, que os oferece abrigo, mas informa logo depois que o prédio vai explodir em chamas, então, todos vão embora desesperados, só restando o cientista e uma outra mulher que querem acabar com o sofrimento que aquela "guerra" está causando. 
Na segunda temporada, eles são surpreendidos/atacados por um grande bando zumbi que atravessam uma das ruas principais que levam à Atlanta, e, a filha de Carol, Sophia é desaparecida na floresta, assim, vão tentar resgatá-la e, depois de Carl levar um tiro encontram abrigo numa fazenda muito tranquila que é perfeita: segura, confortável e com muitos suplementos. Depois de um tempo, Carl está se recuperando, Sophie continua desaparecida - mesmo Daryl se esforçando muito na busca, e encontrando sua boneca nas rochas do rio; Lori descobre que está grávida - e conta com a ajuda de Glenn;  e o mesmo encontra muitos zumbis no Celeiro da fazenda. Mas, mesmo depois, da revelação da gravidez e dos zumbis, algo surpreende a todos: Sophie estava no celeiro o tempo todo. Claro que não para por aí, Hershel desaparece e é encontrado num bar e para sair de lá, precisaram matar dois homens, e trazer um do outro grupo com eles, assim, todos, principalmente Shane quer matá-lo para restaurar a segurança, mas Dale acha que estão todos matando um inocente, há uma votação e é decidido que ele irá ser executado, mas, Rick não consegue.
Logo depois, Shane o mata e arma uma emboscada para matar Rick por paixão pela Lori, mas Rick dá um fim nisso, e no momento seguinte se vêem alvos de um grande bando de zumbis que conseguem matar e separar o grupo, mesmo depois que se reencontram, a Andrea continua desaparecida.
Na terceira temporada, o grupo tem que lidar com várias visitas à casas aleatórias, mas, conseguem encontrar uma prisão que parece o melhor lugar que encontraram nos últimos oito meses e limpam com os zumbis que a ocupavam, e, nessa limpa encontram presidiários sobreviventes que se isolaram por muito tempo e não faziam ideia de como funcionava o mundo pós apocalíptico, mas eles não são exatamente bem receptivos e acabam saindo dos trilhos, assim, morrem e um é deixado para os zumbis, o homem que foi deixado arranja uma enorme confusão para o grupo e, ao mesmo tempo Loiue enfrenta um parto difícil. Já com Andrea - que sobreviveu mas que está muito doente - e Michone a mulher que a ajudou nos últimos meses, encontram Merle que a levam para uma cidade de sobreviventes. Mas não é como imaginam, e Michone sai da cidade, porém Andrea não, nessa saída, Michone testemunha o sequestro de Glenn e Meggie, e vai à prisão; eles invadem Woodbury e resgatam os sequestrados, mas, o Governador - chefe da cidade - se sente ameaçado e quer revidar, porém Andrea que se tornou próxima do governador, tenta arrumar as coisas entre as lideranças, e o que acaba encontrando é a fúria do governador. Então, sem o impedimento, há um confronto, mas todos saem em segurança menos o grupo de Woodbury que é assassinado.


O que achei:


Ai gente, eu amei. Sabe, todo mundo gosta mesmo - não é nem querendo generalizar mas ue - , é de se esperar um amei achei tudo, mas, vou tentar ser mais original. 
Eu achei a primeira temporada um pouco blézinha (atire a primeira pedra quem não tem pecado), tipo, é lógico que gostei e tudo, mas eu fico imaginando que se eu estivesse no ano de estreia e ter de esperar um ano acho que eu iria surtar, a primeira temporada não me deu o suficiente vamos dizer assim, é lógico que eu penso que isso foi o charminho, o suspense nos créditos finais pra prender o público, mas comigo teve um efeito quase que negativo, porque sinceramente, eu acho que esperei mais da primeira, e me deu um pontinha de decepção (mas por mais culpa de só ser 6 capítulos, calma gente). 
Aí né, fui toda vamo ver o que acontece pra segunda temporada e me apeguei bastante, estava com muita raiva do Shane (quem nunca?) e um pouquinho do Carl, não consigo me lembrar exatamente onde nessa season que desgostei dele, mas, me deu uma pontinha de vai tomar no cu sim. Comecei a shippar a Andrea com a Megg sim, que vergonha alheia eu, e meus amorzinhos foram revelados: Daryl e Carol. Gente, eu realmente não sei porque eles ainda não estão juntos, mas enfim né, meus favoritos da vida, amo amo amo. 
Na terceira temporada, como sofri, eu achei a melhor que assisti até agora, e ai mds, Michonne te amo gata, e como já não era muito fã da Andrea, depois dela ter deixado a Michonne pra ficar com o Governador aí que não gostei mesmo, claro que eu entendi ela, e que ela enxergou a verdade mais para frente, mas não concordei com suas atitudes do começo. Nessa season, passei a ficar meio pé atrás com o Rick e gostar do Carl (nunca odiei, mas dessa vez conquistou minha confiança, gostei pra valer mesmo) e Judite? Judite, ai minha nenezinha linda. Eu percebi também que eles ficaram meio que tranquilos na prisão, e achei tão bom, tinha algumas vezes que eu achava que eles iam pirar com tanto zumbi.

Foi isso gente, me falem sobre o que acharam nos comentários, sabe, é bom a interação com vocês. Beijosss

22 dezembro 2016

Princesa Adormecida


 

Ooi gente! Eu já li esse livro que é uma releitura de A Bela Adormecida há um tempo atrás mas mesmo assim quero compartilhar o que achei da leitura com vocês, e também matar a saudade de resenhar livros. E gente, acho que contém uma dose de Spoilers, mas dá pra ler sem preocupação nada daqui é como se ninguém nunca tivesse falado sobre a obra haha.

Autora: Paula Pimenta
Páginas: 192
SinopseEra uma vez uma princesa... Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas essa princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. 
Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou. 
Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida.
Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única.
Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim...


Rosa é uma menina muito talentosa, que foi criada por seus tios durante seus dezesseis anos, e que estuda num colégio interno onde é uma ótima aluna, mas mesmo com tanto amor de seus três pais que a vida lhe deu depois de um terrível acidente de carro que matou seus pais, e de seus amigos, ela se sentia incompleta, pois tinha um sonho de encontrar um grande amor, ou pelo menos, se safar um pouco da super proteção de seus responsáveis - coisa que ela nunca entendeu. 
No dia do seu aniversário, ela sai com suas amigas para um bar próximo e tem uma noite realmente agradável que muda sua vida. Logo depois, recebe uma mensagem de texto de um garoto muito legal, e que a faz suspirar depois de dias falando com ele - falando mesmo, pois todas as noites os dois ficavam até tarde se conversando por ligação. Porém tudo muda depois dos dois marcarem um encontro atrás da escola dela, ela é atacada por um enxame de abelhas e só acorda depois de dias na cama do hospital onde se é revelada toda a verdade.
Ela é uma princesa e seus pais, na verdade, não morreram, fingiram a morte da filha para o mundo, e as próprias mortes para a filha para protegê-la da Malleville, uma ex paixão de seu pai que busca vingança por ele ter se casado com sua atual esposa e mãe da agora Áurea, mas a vingança não é neles, é na filha. Depois de quase sequestrar Áurea a vilã sumiu, e ela teve que ser deixada aos cuidados dos três tios.
Mesmo que Malleville tivesse morrido, pra Áurea aquilo era uma éspecie de pesadelo, toda sua vida tinha sido chacoalhada e o pior repórteres fuxiqueiros viviam a cercando. Também, agora teria aprender a viver com seus pais, longe de seus tios, os que a criaram durante sua vida inteira.


Essa foi uma das leituras mais rápidas que já li, demorei uns dois dias, mas pra quem é mais assíduo demoraria um dia pois a escrita da Paula é muito envolvente e prática, sabe, é um livro recomendável para se ler depois de um livro que desgraçou sua cabeça. 
Não é uma história extremamente marcante, mas é muito agradável, uma leitura boa mesmo, e sua diagramação é ótima, ainda mais nas partes das mensagens de textos ou das reportagens, é muito fofo gente.
Foi minha primeira leitura da Paula Pimenta, e me deu vontade até de comprar os outros da série Princesas Modernas, ainda mais Princesa Pop, estou louca para ler. 

Acho que é isso que tenho pra falar sobre esse romancezinho fofo, vocês já leram ou querem ler? Falem comigo sobre, amo trocar ideia com vocês. Beijão! 

17 dezembro 2016

Surprise, bitchs!


Olarrr! Tá, estou começando a me enjoar dessas idas e voltas com o blog e desses posts de "olá, estou de volta", tipo, eu sei que uma hora eu vou me desanimar com o blog ou ter certos fatores para abandoná-lo, assim como também sei que sempre vou voltar, e o blog não vai acabar, pelo menos não tão cedo.
Enfim, tamo aí pra ser trouxa e blogueirinha hahaha; também tenho posts legais em mente, quer dizer, até eu publicar esse post eu já fiz muitos outros, porque sou dessas, gosto é de acumular post no rascunho, e to bem animada para criar pelo mundo.
Uma coisa que quero avisar a vocês é que, não vou prometer post uns 3 dias por semana, ou toda a semana, a única coisa que quero falar que tenho uma meta de publicar todo sábado, mas meta é meta e promessa é promessa ~ são coisas bastantes distintas.
Bem, também pretendo expressar mais minhas opiniões além dos textos, séries, filmes e livros que costumam invadir o feed do Paralisei o Bico, tipo, eu sempre quis me expressar aqui, ter algo mais pessoal, mais conectado com meu interior, mas sempre pensei que não gostariam desse tipo de assunto, MAS EU TO NEM AÍ, E SOU EU QUEM MANDA NESSA PORRA, então, resumindo, vou vomitar causas sociais e opiniões sociológicas (ui me senti agora).
 E, agora, com vocês uma playlist lindinha com clipes adoráveis <3



E agora um textinho meu:::

  • - Ela foi embora.
    Aquelas palavras me mataram.
    Ela foi embora.
    As palavras ardiam, meu olho sangrava lágrimas, meu coração parecia ter se desmanchado.
    Ela foi embora.
    As palavras nem pareciam reais, ontem mesmo eu conversei com ela sobre o céu, e as figuras das estrelas.
    Eu amo tanto ela, e...
    Ela foi embora.
    Ouvir essas palavras me sugaram e eu desabei no chão, amparada por minhas lágrimas que encharcavam o tapete.
    Ela foi embora e nem deixou um bilhete, ela me disse pra esperar, pra eu não dormir, e foi embora.
    Foi para aliviar a dor?
    Então, se ela tivesse me dito que iria embora, eu morreria? Desabaria lá no chão mesmo, na mesa vermelha que a gente pintou naquele dia que descobrimos que nossas almas eram destinadas uma para outra.
    Será que também era para aliviar minha dor, quando você disse eu te amo, quando eu chorei na sua frente depois de você ter dito não?
    Me responda, me responde agora.
    Porque eu não aguento mais, eu sinceramente, te amo tanto, que dói receber essa notícia por aquela sua vizinha pequena, que tem suas mãos grandes.
    EU. NÃO. AGUENTO. MAIS.
    Chorar toda noite, às uma da manhã, quando seu pontinho verde desaparece.
    não.aguento. NÃO TENHO MAIS FORÇAS, VOCÊ TIROU TODA MINHA FORÇA, E SIMPLESMENTE... FOI EMBORA.
    Você foi embora. E eu? Quando eu vou te encontrar?


---------------
Gente, acho que foi isso, eu queria fazer algo a mais mas tudo bem, eu to voltando amém! Beijoss, até mais um pouco.